Carregando...
Dicas e Notícias

Projeto de trem de alta velocidade entre Rio e São Paulo prevê estações em 9 cidades

Um ano se passou desde que a TAV Brasil recebeu a autorização para explorar e operar trens de alta velocidade, conectando as capitais Rio de Janeiro e São Paulo. Mas o que foi feito até agora? Vejamos as informações compartilhadas pela empresa com o Melhores Destinos sobre o progresso desse tão esperado projeto.

Agora, além do que já sabíamos – que, se tudo correr conforme o planejado, ainda levará pelo menos oito anos para que a conexão Rio-São Paulo seja uma realidade sobre os trilhos – há uma novidade: o trajeto poderá incluir nove cidades, abrangendo ambos os estados.

Cidades com estações do trem Rio-SP

Durante este primeiro ano, a TAV Brasil definiu as novas estações intermediárias do projeto, abrangendo cinco cidades do estado de São Paulo e duas do Rio de Janeiro. Essa seleção foi realizada após um minucioso estudo de demanda e após contato com as prefeituras dos municípios ao longo do trajeto.

Segundo a empresa, “O estudo de demanda baseou-se no Plano Nacional de Logística, o qual analisou a demanda total de passageiros no país. Esses dados foram refinados por meio de pesquisa de preferência declarada com usuários de todos os modos de transporte”.

A extensão total da ferrovia será de 417 quilômetros, conforme divulgado pela TAV. As operações ferroviárias estão programadas para iniciar em junho de 2032.

De acordo com a empresa, “A implementação do trem de alta velocidade possibilitará uma desconcentração urbana, uma vez que as pessoas poderão residir fora das grandes cidades com maior conforto, devido à facilidade de acesso proporcionada por esse meio de transporte.”

  • Estação Água Branca, São Paulo (SP)
  • Guarulhos (SP)
  • Jacareí (SP)
  • São José dos Campos (SP)
  • Taubaté (SP)
  • Aparecida (SP)
  • Resende (RJ)
  • Volta Redonda (RJ)
  • Estação Leopoldina, Rio de Janeiro (RJ)

Rio a São Paulo em menos de 2h

Inicialmente, o plano contemplava a rota do trem de alta velocidade apenas por São José dos Campos e Volta Redonda, como mostrado no mapa inicial divulgado em 2023.

Primeira rota prevista para o projeto de trem rápido Rio-SP

Primeira rota prevista para o projeto de trem rápido Rio-SP – Imagem: ANTT

Para se ter uma ideia, a rota atual que abrange nove cidades totaliza cerca de 471 quilômetros de rodovias. Uma viagem de carro, por exemplo, levaria aproximadamente 7 horas e meia. Com a implementação do trem de alta velocidade, esse tempo seria reduzido significativamente.

Apesar do modelo específico do trem a ser operado ainda não ter sido divulgado, a TAV Brasil assegura que ele será capaz de atingir velocidades de até 350 km/h. Sob essas condições, a viagem entre as duas capitais através do trem de alta velocidade poderá ser realizada em menos de 2 horas!

Rota prevista feita de carro

Imagem: Reprodução/Google Maps

Segundo a empresa, ao longo deste primeiro ano, representantes da TAV realizaram reuniões “com diversas prefeituras das cidades situadas ao longo do trajeto do trem de alta velocidade, além de parceiros interessados e potenciais investidores”.

Considerando que as prefeituras envolvidas já foram contatadas e demonstram expectativas positivas em relação ao projeto, existe uma boa possibilidade de que esta rota seja mantida até 2032. Caso isso se concretize, o serviço representará uma excelente opção de transporte para os viajantes desses municípios.

Recentemente, houve um acordo entre a União e a Prefeitura do Rio para a restauração da Estação Leopoldina, onde está localizada a parada do TAV na capital carioca. No entanto, a empresa esclarece que o foco deste acordo recente é a restauração da estação histórica em si. Quanto à estação do TAV, ainda não foi definido se ela utilizará esta parte da propriedade ou não.

“Estaremos na área não utilizada da Leopoldina; pátio e oficina que estão abandonados, que não têm valor histórico; e áreas adjacentes.”

Investimentos

Inicialmente, o projeto de ligação entre Rio de Janeiro e São Paulo estimava gastos de cerca de US$ 10 bilhões (aproximadamente R$ 50 bilhões). No entanto, com os novos estudos e o aprimoramento do projeto, a TAV Brasil planeja investir 50% a mais, totalizando cerca de US$ 15 bilhões (quase R$ 75 bilhões). Desse montante, US$ 10 bilhões serão destinados para as obras em si, enquanto os US$ 5 bilhões restantes serão para desapropriações e investimentos complementares.

De acordo com o CNPJ da TAV Brasil, o capital social da empresa é de R$ 100 mil. Quando questionada sobre a origem dos recursos para o projeto, a empresa assegurou que não receberá verbas públicas e buscará os investimentos requeridos de outras fontes.

“A TAV Brasil é uma entidade (sociedade de propósito específico) pela qual os investidores participarão do projeto. Os recursos serão provenientes da captação de investidores, que capitalizarão a entidade de investimento, ou através de financiamentos.”

Sustentabilidade

Segundo o projeto, toda a energia consumida pelo trem de alta velocidade será proveniente de fontes renováveis, e seus empreendimentos serão projetados visando a sustentabilidade.

“O TAV emite significativamente menos carbono do que o avião e as opções de transporte rodoviário. Índices internacionais indicam que as emissões de carbono por passageiro por quilômetro são de 128 para o avião, enquanto para o TAV são de apenas 4. Portanto, há um impacto considerável na redução das emissões de gases poluentes”, explicou a empresa.

Cronograma previsto

A empresa afirmou ao Melhores Destinos que o cronograma previsto em contrato tem sido seguido rigorosamente e mencionou algumas das ações feitas neste primeiro ano:

  • Promoveu estudo de demanda;
  • Definiu o traçado a ser proposto e as localizações das estações;
  • Mapeou os dados fundiários ao longo do traçado;
  • Levantou os custos de desapropriação;
  • Revisou o projeto de engenharia;
  • Revisou o orçamento da obra;
  • Concluiu um estudo sobre o potencial imobiliário que pode ser agregado ao projeto;
  • Fechou seis acordos de confidencialidade (non-disclosure agreements) com grupos estrangeiros;
  • Tem preparado o projeto para entrar no mercado verde, de empreendimentos sustentáveis.

Ao fim dessas etapas, a empresa concluiu um estudo de viabilidade, que será entregue à Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) ainda este ano, conforme o cronograma.

CRONOGRAMA COM ANTTPRAZOS
Estudos e projetosDezembro/2024
Licença préviaJunho/2025
DesapropriaçõesDezembro/2025
Licença de instalaçãoJunho/2026
Licença de operaçãoJunho/2032

Criada em São Paulo, a TAV Brasil Empresa Brasileira de Trens de Alta Velocidade tem como sócios Marcos Joaquim e Bernardo Figueredo, sendo este último o atual presidente da empresa.

Acompanhamento do projeto

Contatada pelo Melhores Destinos, a ANTT esclareceu que, “após as autorizações, cabe a cada empresa conduzir as negociações para concretizar o projeto, assumindo todos os riscos do negócio. Portanto, a iniciativa privada é responsável por obter as licenças dos órgãos competentes, desenvolver os projetos de engenharia e de viabilidade socioambiental, buscar financiamento e definir as etapas da obra. Enquanto isso, a ANTT acompanha os projetos em todas as fases.”

Segundo a agência, as empresas enviam informações regularmente sobre os empreendimentos. “Quando as obras são iniciadas, a empresa autorizada deve fornecer informações a cada quadrimestre. A agência reguladora pode realizar inspeções no local, se necessário, para verificar o andamento do empreendimento.”

A ANTT não forneceu informações específicas sobre a exploração da estrada de ferro entre São Paulo e Rio de Janeiro, e informou que detalhes do projeto estão disponíveis no contrato com a TAV Brasil.

A utilização de trens de alta velocidade já é uma realidade em muitas cidades ao redor do mundo. Além de práticos, esses sistemas ferroviários frequentemente representam uma opção econômica e sustentável para explorar diferentes destinos.

Observar o avanço do projeto no Brasil é motivo de esperança para os viajantes. Por anos, houve promessas e expectativas em torno de um possível “trem-bala” conectando Rio de Janeiro e São Paulo. Agora, com o projeto sendo conduzido pela iniciativa privada, há motivos para acreditar que esse sonho pode se tornar realidade.

Embora ainda haja um longo caminho até a conclusão, programada para junho de 2032, mantemos a esperança de que os planos da TAV Brasil se concretizem conforme o cronograma estabelecido.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Favoritos