Carregando...
Sem categoria

Os melhores 21 destinos para visitar em 2021 da revista Condé Nast

A pandemia adiou e ainda provoca incertezas nas nossas futuras viagens. Apesar disto a nossa lista de desejos e sonhos continua guardada para o momento certo de aproveitarmos e embarcarmos em mais um voo. A Condé Nast Traveler fez uma lista com 21 destinos que os editores desta revista norte-americana acreditam que estarão em alta neste ano e que valem a pena estarem no seu próximo roteiro de férias. Descubra estes 21 lugares encantadores, um deles é no Brasil.

A confecção de lista de viagens e destinos sempre é controversa e esta da Condé Nast Traveler não poderia ser diferente. Algumas inaugurações, hotéis e atividades culturais foram levadas em conta pela revista na hora da escolha. Como a revista é norte-americana também há grande presença de destinos nos Estados Unidos. O mais importante é descobrir possíveis novos roteiros de viagem, alguns bem fora da lista corriqueira de um bom viajante. Também é importante levar em conta a atual situação mundial.

1. Addis Ababa – Etiópia

No ano passado Addis Ababa inaugurou um novo terminal no aeroporto internacional. Apesar disto, a capital da Etiópia continua a ser um destino meramente de passagem para os turistas que fazem conexão com a Ethiopian Airlines ou os que visitam os patrimônios mundiais da Unesco no país, que se encontram fora da cidade. Mas agora novos espaços culturais e de lazer colocam Addis Ababa no mapa turístico.

O complexo de museus multifacetado, Unity Park, inaugurado em outubro de 2019 se estende por 16 hectares do antigo palácio imperial do século 19. Lá os visitantes podem caminhar ao lado de murais vibrantes emoldurados por jardins de plantas e esculturas nativas e explorar pavilhões culturais que mostram as nove regiões da Etiópia. Além do Unity Park, o novo Museu Comunitário Bilal Habashi, o Parque Entoto e o Kuriftu Resort prometem encantar os turistas. O Brasil conta com voos diretos para Addis Ababa partindo de São Paulo.

2. Angola

Este pode ser o ano para viajar para lugares fora da lista de destinos comuns. Angola, com suas belezas naturais e voo direto do Brasil com a TAAG, pode ser uma escolha. Entre os destaques a serem visitados tem o Delta do Okavango ou Cubango, patrimônio da humanidade da Unesco, reúne uma biodiversidade única, além de ser o maios delta no interior de um país. O Delta é um enorme deserto que se transforma em um labirinto de canais e pântanos durante a época das chuvas, onde animais de dezenas de espécies encontram um lar perfeito. Angola também conta com uma reserva de 500.000 acres que abriga o maior rebanho de elefantes do mundo. E tem a facilidade do idioma, já que em Angola também se fala português!

3. Bermudas

A cerca de 4 horas de voo da costa leste dos Estados Unidos, estas ilhas conhecidas por seu nome associado a lenda de navios de desaparecem no mar, pode ser uma boa pedida de destino para este ano. Bermudas é um pequeno arquipélago no meio do Oceano Atlântico. A colonização das Bermudas pelo Império Britânico em 1612 ainda perdura até hoje, desde as bermudas (roupa) cor de sorvete e meias até o joelho até conversas apaixonadas sobre críquete com um toque de rum. Mas há um número crescente de experiências que falam sobre a história diaspórica da ilha e celebram a cultura negra das Bermudas. Além disto, as ilhas contam com praias com mar azul turquesa.

4. Chiapas – México

Do outro lado da fronteira com a Guatemala, o estado mexicano de Chiapas é cheio de terras altas e montanhosas exuberantes, que abrigam quase uma dúzia de sítios arqueológicos maias importantes (as antigas ruínas de Palenque datam de 266 a.C.). Em suas cidades, como San Cristóbal de la Casas e Palenque (perto do sítio arqueológico), você vai ouvir línguas antigas e saborear pratos centenários feitos com ingredientes indígenas, como tamales com chipilín, um verde frondoso. Na igreja de San Juan de Chamula, os visitantes são convidados a participar de cerimônias da bebida Pox, destilado usado pelos maias para se conectar com o submundo, preservado pelo povo Tzotzil, e agora popular em todo o México.

Palenque, México

5. Costa da Inglaterra

É claro que a Inglaterra não é conhecida por suas praias, mas a paisagem costeira do país é encantadora. Penhascos escarpados, praias repletas de fósseis e pitorescas cidades portuárias há muito atraem artistas, escritores e exploradores. Neste ano os segmentos finais do Caminho da Costa da Inglaterra serão completados formando uma rota única com mais de 4.300 quilômetros, o caminho costeiro contínuo mais longo do mundo. São inúmeros lugares para conhecer pela Cornualha, South West Coast, Norfolk e muito mais.

Foto Fginsight

6. Gana

Situada na costa do Golfo da Guiné, Acra, capital de Gana, tem de tudo, desde restaurantes que servem banku e tilápia até o mundialmente famoso mercado ao ar livre Makola, onde os vendedores vendem produtos que variam de peças de automóveis a dashikis personalizados. Os viajantes que procuram relaxar irão gravitar para as serenas praias de areia branca da cidade e vários hotéis de luxo. Os recém-chegados à cena hoteleira de Acra em 2021 incluem o primeiro   da cidade, que será equipado com uma piscina e um bar na cobertura, localizado perto do Aeroporto Internacional de Kotoka. Na vizinha Aburi, a pousada ecológica Safari Valley Resort abrirá suas portas no próximo ano, oferecendo a oportunidade de ver animais como impalas, girafas, hienas e zebras em seu habitat natural. Você pode escolher sua própria comida na fazenda do Safari Valley ou pescar no lago da propriedade.

Foto FlyTap

7. Healdsburg – Estados Unidos

Um passeio pela região vinícola da Califórnia. Siga para Healdsburg, um vilarejo no coração de Sonoma County, conhecido por seu charme de cidade pequena e comida e vinho de classe mundial. Um lugar para descansar em aconchegantes hotéis e desfrutar do bom vinho. Um dos lugares indicados para se hospedar é o Montage Healdsburg (na foto), um retiro recém-inaugurado em meio a vinhedos e carvalhos. A maioria dos bangalôs oferece áreas de estar ao ar livre, incluindo fogueiras, com vista da floresta, do vinhedo ou da montanha Mayacama. Do outro lado da cidade, o Mill District está em andamento. O arquiteto Olson Kundig foi escolhido para converter um antigo depósito de madeira em uma extensão industrial chique da cidade com um parque, lojas, residências e um hotel boutique de 53 quartos.

8. Hokianga – Nova Zelândia

Nova Zelândia fez um trabalho fenomenal ao convencer os viajantes de que sua beleza natural e aventuras ao ar livre valem uma longa viagem de avião. Agora é a vez de destacar a história e a cultura do país com a inauguração do Centro Cultural Manea, na ilha do norte a cerca de 250 km de Auckland. O local conta a história de Kupe – o grande explorador polinésio reconhecido como a primeira pessoa a chegar à região em 950 dC. – e os mais de 1.000 anos de história Maori que se seguiram. Sua localização é próxima ao local onde Kupe teria desembarcado, no município de Hokianga. O Centro Cultural pode ser o ponto de partida para mais histórias Maori e dali os turistas podem partir por passeios e diversos itinerários.

Hokianga, Nova Zelândia – foto Northlandnz

9. Indianápolis – Estados Unidos

Famosa por sua corrida de carros, Indianápolis, no centro-oeste dos Estados Unidos, celebra o bicentenário neste ano. 2021 será um ano de comemorações e muita atividade cultural. O bairro multiuso Bottleworks District, assim chamado pois abrigou uma fábrica de engarrafamento da Coca-Cola  por quase 50 anos, foi inaugurado com muitas atrações, como restaurantes, cinemas, teatro, hotel, e muito mais. Um projeto de US$ 300 milhões.

O novo ano também trará uma expansão de 3 km na Trilha Cultural, uma trilha de bicicleta e caminhada com mais de 10 quilômetros; parte do novo segmento se conectará ao restaurado Madam Walker Legacy Center, dedicado à primeira negra milionária, natural de Indianápolis que fez fortuna vendendo produtos para os cabelos. Já no meio do ano o Museu de Arte de Indianápolis inaugurará Lume, uma experiência imersiva num grande espaço de exposição digital.

10. Itália

Itália é a grande majestade do turismo mundial. Nunca sai de moda e sempre está em alta. Há muito que desvendar e se deliciar neste encantador país. Em 2021 a Itália espera iniciar uma recuperada no turismo, totalmente dilacerado com a pandemia em 2020. Para isto novos empreendimentos turísticos serão inaugurados, como os hotéis Rocco Forte’s Igiea, em Palermo, e o moderno Hoxton em Roma. Outro grande investimento está sendo feito na região da Umbria que está recebendo seu primeiro lugar verdadeiramente cinco estrelas, o Castello di Reschio (na foto), uma propriedade que se tornará um hotel para o público mais exigente dentro de um castelo de 1.000 anos. Um lugar para relaxar e degustar das maravilhas gastronômicas da região, como trufas, porchettas e vinhos.

Castello di Reschio, Itália

11. Kyoto – Japão

O Japão se preparou para ser inundado de turistas com os jogos olímpicos. Mas os planos foram adiados por um ano, mas o país tem uma infinidade de novas e tradicionais atrações. Nos últimos meses as inaugurações aconteceram em todo Japão, das pistas de esqui de Hokkaido às praias de Okinawa, mas a histórica capital de Kyoto continua atraindo com o seu charme e novos hotéis, como Ace Hotel Kyoto e o Mitsui Kyoto Central. Onde quer que você faça o check-in, visite o recém-reformado Templo Kiyomizu-dera, patrimônio mundial da Unesco, experimente os tradicionais omiyage (souvenirs) no Beams Japan Kyoto e termine o dia com saquê e espetos no novo Kyoto Yakitori Kazu, onde o tempura vegetal é um dos melhores que existem.

12. Maine – Estados Unidos

O longínquo estado de Maine, na ponta extrema do nordeste dos Estados Unidos, pode te reservar gratas surpresas. Em uma época em que muitos de nós buscamos um pouco de solidão e maravilhas naturais, Maine, com sua costa acidentada e charmosas cidades portuárias, pode te encantar. A joia da coroa dessa costa é o Parque Nacional de Acadia, onde praias e desfiladeiros abrem espaço para florestas densas e picos montanhosos – um deles chega a 466 metros de altura. Aproveite para provar as famosas lagostas e caranguejos da região.

Parque Nacional de Acadia, EUA

13. Nova York – Estados Unidos

A cidade de Nova York atraiu cerca de 67 milhões de turistas em 2019, mas como um dos primeiros epicentros do Covid-19, viu apenas uma fração disso em 2020. Sem essa receita, a indústria da hospitalidade está lutando – uma pesquisa recente revelou que até 60 por cento dos restaurantes da cidade podem fechar em 2021. É por isso que Nova York ganhou um lugar na lista da revista Condé Nast Traveler. Para que uma das maiores cidades do mundo se recupere e floresça, ela precisa do retorno dos visitantes. Esta realidade não é exclusiva de Nova York, pelo mundo os setores ligados ao lazer e turismo tentam se recuperar e precisarão da sua ajuda.

Nova York é impressionante por diversos motivos. É um lugar onde ao lado de arranha-céus, vivem parques extremamente arborizados. Onde você encontra pessoas de toda parte do mundo e culturas diversas vivendo em harmonia. Um lugar para estar, visitar e se encantar. Viver o estilo de Nova York!!!

14. Nova Escócia – Canadá

A costa da Nova Escócia, no extremo leste canadense, pode te surpreender com as beleza naturais e costa rochosa. Uma das grandes atrações é o Penhasco de Fundy com seus mais de 150 quilômetros e um Geoparque Global da Unesco. Neste imenso parque se destacam atividades culturais e naturais emolduradas por milhões de anos de história. Esta viagem tentadora é melhor realizada em três dias: comece com Mi’kmawey Debert, o assentamento mais antigo conhecido no leste da América do Norte, em seguida, siga a costa para oeste até um ponto atingido pelas ondas em Squally Point.

15. Oslo – Noruega

A capital da Noruega vive uma transformação cultural com a chegada de novos espaços dedicados a arte. Um dos locais que recebem mais intervenção é o  antigo porto de contêineres de Bjørvika, que começou sua transformação com a inauguração em 2008 da Ópera de Oslo projetada por Snøhetta e deu as boas-vindas à arejada biblioteca Deichman Bjørvika em junho do ano passado. Agora em 2021 chegará o Museu Munch de 13 andares, que abre na primavera europeia como um dos maiores museus de um único artista do mundo, enquanto mais a oeste ao longo da orla, o Museu Nacional será inaugurado em um edifício de quase 55.000 metros quadrados – o maior museu do mundo nórdico.

Ópera de Oslo – Foto Hadlerdmc

16. Pantanal – Brasil

O único destino brasileiro da lista é a vasta área do Pantanal. A maior planície de inundação do mundo, que se estende por partes do Brasil, Paraguai e Bolívia, infelizmente foi manchete triste dos jornais no ano passado com os incêndios. Apesar dos mal ocorrido, o Pantanal tem tudo para ser o próximo grande destino ecológico da América do Sul. É indiscutivelmente o melhor lugar para avistar onças-pintadas na natureza, com maior visibilidade do que a Amazônia. É o lar da maior concentração de crocodilos do mundo e do maior papagaio do mundo, entre mais de 100 outras espécies. E a paisagem está em constante mudança: ipês amarelos pontilham as pastagens, que vão do verde à cor de areia entre as estações das chuvas e secas, destaca a revista Condé Nast Traveler.

Foto Naturetrek

17. Riviera Nayarit – México

Entre o azul-turquesa do Oceano Pacífico e o verde intenso da Sierra Madre, a Riviera Nayarit encanta pela exuberante natureza e leva o turista a aproveitar dias de muito sol. Na região novos resorts coexistem e incorporam uma cultura e população locais prósperas. Segundo a Condé Nast, a Riviera Nayarit tem uma longa história de culturas indígenas que evoluíram para vilas vibrantes de pesca, agricultura e mineração nos dias modernos. Uma dessas cidades, a antiga ilha de Mexcaltitán, acaba de ser reconhecida como Pueblo Mágico (uma área de patrimônio cultural preservado), juntando-se à cidade do surf de Sayulita na distinção. O ponto principal de chegada à região é Puerto Vallarta.

18. Sul do Vietnã

Do Delta do Mekong, passando por Ho Chi Minh e subindo até Da Nang, o sul do Vietnã tem muito a oferecer. Uma culinária rica, uma história surpreende e uma população acolhedora fazem do país no sul asiático um perfeito destino para os turistas. Um pouco fora dos destinos comuns fica a província de Phu Yen, ao norte de Ho Chi Ming, e que está começando a despontar com um grande destino rico em belezas naturais. A região em si é notavelmente deserta, e tem águas cintilantes e margens com palmeiras para o deleite dos viajantes. Seguindo mais ao norte tem uma viagem inesquecível e única a bordo do luxuoso trem Vietage que segue pelos trilhos entre o encanto histórico de Hoi An e as praias cintilantes de Quy Nhon.

Província de Phu Yen, Vietnã

19. Tasmânia – Austrália

Depois de fechar suas fronteiras no início da pandemia, a ilha da Tasmânia será reaberta para viajantes internacionais em 2021 – e há muitos motivos convincentes para visitar este destino australiano menos conhecido. Os viajantes podem explorar as regiões selvagens do Parque Nacional Freycinet, apreciando a floresta costeira repleta de cangurus e pademelons, as águas turquesa da Baía de Wineglass e praias de areia branca sem multidões.

Parque Nacional Freycinet, Austrália

20. Tulsa – Estados Unidos

Este ano marca os 100 anos do Massacre de Tulsa. Em 31 de maio de 1921, grupos de brancos atacaram os residentes negros do distrito de Greenwood e incendiaram a Black Wall Street – um dos bairros negros mais ricos da nação na época – até o chão. Para homenagear as vítimas e lembrar este triste capítulo da história, a segunda maior cidade do estado de Oklahoma está planejando algumas atividades, como vigília à luz de velas, um festival de cinema e uma nova iniciativa artística. O Parque de Reconciliação John Hope Franklin, que tem apresenta uma torre de bronze de 27 pés de altura retratando séculos da experiência afro-americana, é parada obrigatória na cidade. Junto a esse parque estará um novo centro histórico chamado Greenwood Rising que abrigará diversas exposições.

Parque de Reconciliação John Hope Franklin em Tulsa, Estados Unidos

21. Winnipeg – Canadá

A cidade na região central do Canadá já abrigou Jogos Pan-americanos, mas neste ano quem rouba a cena é a área cultural. Quando a Galeria de Arte de Qaumajuq for inaugurada, ela criará uma ponte entre o sul de Manitoba e as comunidades inuítes do Ártico. O edifício sinuoso abrigará a maior coleção de arte Inuit do mundo – cerca de 12.000 peças que variam de esculturas e gravuras a têxteis. Mais do que um museu, é um espaço novo e vital onde as vozes Inuit ocupam o centro do palco.

Galeria de Arte de Qaumajuq em Winnipeg, Canadá

E ai, o que achou da lista da Condé Nast? Já conhece algum desses destinos? Conte pra gente nos comentários!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Favoritos